terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Chega chegando

Não eram nem sete da manhã quando meu Pai entrou pela casa, assoviando, como se o relógio já marcasse meio-dia.
Não contente em não receber nenhum aceno recíproco, subiu as escadas e viu que eu e meu irmão dormíamos o sono dos justos. Sem pensar em nada, disparou a dizer:

- Oi meu filho! Oi minha filha! Bom dia! Vim buscar minhas correspondências, tá?! Desculpa atrapalhar o sono de vocês. Tchau!

Cara, eu nem olhei pra cara dele. Meu irmão ainda respondeu um "Tchau Pai", só pro véio não ficar no vácuo.
Porra, precisa chegar assoviando às seis da manhã e depois fazer questão de nos acordar só pra pedir desculpas? É demais, né?!

Meu sono não me deixou agir, nem pra mandar ele pra PQP, mas a verdade é que eu tô com uma saudade monstra desse cara!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Senta o dedo aí!