terça-feira, 30 de novembro de 2010

Xô tristeza. VAMOS CELEBRAR!

O dia de ontem foi muito chato. Recebi uma notícia que me deixou preocupada e um pouco triste.
Hoje, a mesma coisa. Meio deprê, meio sem saco, sei lá... odeio final de ano, gente. Detesto. Aí vem uma notícia preocupante e piora tudo.
Chorei ontem e hoje me segurei. No metrô, algumas lágrimas me escaparam. Mas eu estou sabendo superar. Eu sei que tudo vai dar certo e já estou pedindo muito para que o melhor aconteça!

Hoje, pra aliviar, cheguei em casa e coloquei uma música bem alegre no volume máximo. Aquela capaz de te fazer sorrir e analisar que a vida vale a pena. É essa:




"Eu gosto de andar pela rua
bater papo, de lua e de amigo engraçado
Eu gosto do estilo do Zorro
o visual lá do morro e de abraço apertado
Eu gosto mais de bicho com asa
mais de ficar em casa e mais de tênis usado
Eu gosto do volume, do perfume
do ciúme, do desvelo e do cabelo enrolado

Eu gosto de artistas diversos
de crianças de berço e do som do atchim
Eu gosto de trem fora do trilho
de andar com meu filho e da cor do marfim
Tem gente, muita gente que eu gosto
que eu quase aposto que não gosta de mim
Eu gosto é de cantar

Vamos celebrar, celebrar, celebrar... Vamos celebrar
Vamos celebrar, celebrar, celebrar... Vamos celebrar

Eu gosto de artista circense
de artista que pense e de artista voraz
Eu gosto de olhar pra frente
de amar pra sempre o que fica pra trás
Eu gosto de quem sempre acredita
a violência é maldita e já foi longe demais
Eu gosto do repique do atabaque
do alambique badulaque do cachimbo da paz

Eu gosto de inventar melodia
da palavra poesia e de palavra com til
Eu gosto é de beijo na boca
de cantora bem rouca e de morar no Brasil
Eu gosto assim do canto do povo
e de tudo que é novo e do que a gente já viu
Eu gosto é de cantar

Vamos celebrar, celebrar, celebrar... Vamos celebrar
Vamos celebrar, celebrar, celebrar... Vamos celebrar

Eu gosto de atores que choram ali por nós
e namoram ali por nós na TV
Eu gosto assim de quem é eterno
de quem é moderno e de quem não quer ser
Eu gosto de varar madrugada
de quem conta piada e não consegue entender
Eu gosto da risada gargalhada
da beleza recriada pra que eu possa rever

Eu gosto de quem quer dar ajuda
e acredita que muda o que não anda legal
Eu gosto de quem grita no morro
que a alegria é socorro e que miséria é fatal
Eu gosto do começo do avesso
do tropeço do bebum que dança no carnaval
Eu gosto é de cantar

Vamos celebrar, celebrar, celebrar... Vamos celebrar
Vamos celebrar, celebrar, celebrar... Vamos celebrar

Eu gosto é de ver coisa rara
a verdade na cara é do que gosto mais
Eu gosto porque assim vale a pena
a nossa vida é pequena e tá guardada em cristais
Eu gosto é que Deus cante em tudo
e que não fique mudo morto em mil catedrais
Eu gosto é de cantar

Vamos celebrar, celebrar, celebrar... Vamos celebrar
Vamos celebrar, celebrar, celebrar... Vamos celebrar"

Vamos Celebrar - Oswaldo Montenegro

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Carta de um São Paulino ao Sport Clube Corinthians Paulista

O texto abaixo é de autoria do meu irmão. Ele postou em seu Facebook, mas achei a parada tão bacana que resolvi ceder um espaço para ele aqui em meu blog.
Imagino como deve ter sido emocionante para ele voltar à um lugar que o marcou tanto. Ele sempre lembra desses momentos.
Eu vivi pouca coisa na Rua São Jorge. Era muito pirralha e não tinha dimensão da coisa. Tenho algumas fotos de biquini, com baldinho nas mãos seguindo rumo ao Sport Clube Corinthians Paulista. Lembro que aquele título de sócio era como uma relíquia pra minha mãe. Esses dias encontrei a carteirinha de sócia com o nome dela.

Bom, o texto fala de Corinthians. E acho que pode fazer parte das comemorações do Centenário do clube.

***

"Passei a tarde de domingo no Corinthians (construindo o perfil de um atleta para uma reportagem). Há 20 anos que não frequentava o clube; fiz isso por uns 15 anos na infância e adolescência. Morei na 3ª casa da Rua São Jorge, a 20 passos do clube. Era sócio do Corinthians. São-paulino, fiz campanha pro presidente Vicente Mateus (aquele do Lero-Lero). Ali, defendi o
clube jogando Futsal, Futebol de campo e Basquete.

De forma amadora, disputei campeonatos de Peteca, Tamboréu, Tênis e Natação. Apelido: Formiga. Tamanho na época: 1,60 (tá explicado?) Acordava e ia para o clube às 8h – todo dia. Ali, ficava até o almoço. Apitava jogo de vôlei (com 12 anos) dos coroas, nadava, jogava sinuca e ganhava uns lanches de umas madames joiadas que me bajulavam dizendo que “eu tinha olhos verdes bonitos”. Vai vendo se elas eram ligeiras!
À noite, eu ia pro colégio e, depois, voltava pro clube para correr atrás de uma bola qualquer.

Bom, a primeira sensação ao retornar foi ver que algumas já não são impressionam como antes. O trampolim e o ginásio já não parecem mais tocar o céu – uma pena! Mas muitas coisas estavam do mesmo jeito. O forno onde os banhistas tomavam sol tava lotado; a piscina meia-lua, vazia, o
pagode no bar do Ginazião comendo solto. As traves das quadras descobertas ainda são feitas da junção de canos de ferro (encontrei, em uma delas, uma marca que cravei com uma chave,
após um treino). E, claro, estavam lá “tia” varizenta desfilando de biquíni e pochete e os “nóinha forgado” andando como se batesse asa pra voar. É Zona Leste maluco! Deu sede. Tomar água no bebedouro – que ainda era do mesmo jeito – foi como assistir a um filme.

Lembrei da minha mãe. A única corinthiana da família que, sábia, ficava na neutralidade dentro da nossa casa para não desagradar a família são-paulina (eu, meu pai e minha irmã). Aquela era sábia! Minha mãe tinha como amigos o Valdir Perez, o Biro-Biro, o Márcio Bittencourt, jogadores do Corinthians que faziam um pit-stop em uma locadora de vídeos vizinha da nossa casa.

Eu via esses caras direto. Na Fazendinha, eu ficava na arquibancada devolvendo para o campo as bolas que uns pernas de pau chutavam longe, tipo a porca do Neto. Bom, aproveitei que estava no clube e fui atrás pra saber a quantas andava o título patrimonial do meu pai. Lembro até hj o nºda matrícula: 200.659. Teria de pagar R$ 1,3 mil pra regularizar tudo e transferi-lo
pro meu nome. Deixa quieto. Decidi que, do Corinthians, quero que fique na lembrança as histórias da infância e da adolescência. Não quero que outra passe por cima daquelas. O rolê de 6hs que fiz esse domingo já havia feito valer o dia.

Moro na Zona Leste; me criei lá. Tenho o espírito do lugar onde o Corinthians tá erguido: Tatuapé. Ainda moro nesse bairro, um lugar com uma atmosfera que parece não permitir que a urbanidade chegue de vez. Sou nostálgico como muitos aqui – coisa de português tb, eu sei. E quer saber: acho isso tudo que me circunda bom pra minha sanidade. Com o meu time em baixa no futebol, fazia tempo que um clube não me emocionava num domingo à tarde. Salve o Corinthians!"

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Pérola Pronta on Twitter

Meu Pai me ligou ontem à noite:

-Filha, fala pro Digo postar amanhã mais uma pérola minha na internet, tá?! Pq a gente vai ganhar dinheiro com isso.

É isso aí mesmo, meu povo. Criamos um perfil no twitter pra divulgar muita cultura e entretenimento para todos vocês. Pérolas do meu Pai, da Mazé e do Tio Lula podem ser lidas neste link: http://twitter.com/perolapronta

É só seguir e ser feliz!

Desabafando

Eu nem sei explicar pra vocês o que eu sinto, então nem vou tentar. Daí Nêgo vem aqui, vai me chamar de Mayara Petruso, me processar, vai cagar mil e uma regras e a porra toda. Então, deixa quieto.
Mas assim, se eu quiser fazer alguma ação ou um bem social, por favor, eu faço. Mas só faço quando me der vontade, beleza? Não adianta me empurrar guela abaixo que não funciona.
Eu não aguento chilique, não aguento piada fora de hora, não aguento intromissão nas minhas conversas. Por mais problemático que a pessoa possa ser.
Pergunta se a pessoa rasga dinheiro. Pergunta se não sabe o caminho de casa. Ah, então vá pra merda.
E eu aqui, com dor de cabeças desde às 21h de ontem e tendo que aguentar "zumzumzum" no meu ouvido logo cedo. Aí eu sou xucra, respondo atravessado, finjo que não tô nem aí... mas eu tô. TÔ PUTA!
E pra finalizar: quem quer fazer ação social, integrar fulano na sociedade, que aguente tudo que está por vir, né?! Quem pariu Mateus, que balance o berço - na minha terra funciona assim.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Mi Buenos Aires Querido!

Gente, sei que já passou uma semana, mas nunca é tarde pra dizer que minha viagem para Buenos Aires foi maravilhosa, ao lado de companheiros agradabilíssimos e com passeios deliciosos.
Não dá pra postar tudo aqui [oi, tô com preguiça de dar notícia velha], mas montei esse muralzinho com algumas fotos, só pra constar aqui.


terça-feira, 16 de novembro de 2010

Jogo do Bicho


Cara, eu não tenho mania de jogar no bicho. Não mesmo. Meu Pai sempre fala que se um dia eu sonhar com bicho ou número, que devo avisá-lo na hora. O velho é ligado nessas paradas, sabe? Toda vez que temos um novo número de telefone (fixo ou celular), ele pára, analisa as combinações e nos dita uma maneira simples de decorar nosso mais novo número.

Bom, na quarta-feira eu sonhei com bicho e com número. Sonhei que ganhava um gato branco de presente. No sonho, aparecia meu irmão e a Claudia, uma amiga minha que ama gatos e que tem três lindões em sua casa. Não sei quem me dava o gato de presente, mas sei que um cara aparecia e me perguntava se eu queria um gato prontinho pra ser cuidado, vacinado, de banho tomado e a porra toda. Eu disse que sim e o moço me disse: "Ok, então vai custar R$ 1.100,00."

Não sei do que se tratava e nem o pq de ter sonhado com o bichano custando esse valor e sei lá pq também, mas liguei pro meu pai e contei o sonho:

- Pai, sonhei com gato e que ele custava R$ 1.100,00. Tem como fazer um joguinho no bicho pra mim?
- Claro filha, é pra já!

Bom, só por desencargo de consciência, a aposta foi feita na quarta.
Quinta-feira viajei para Buenos Aires, e na sexta-feira, ao abrir meu e-mail, me deparo com a seguinte notícia dada pelo meu irmão:

"Vou te dar uma notícia.
Vc sonhou com gato, né? Sonhou que tinha pago 1.100 por um, né?
E mandou o pai jogar no bicho, certo?
Ele jogou. Número 11 e 54 que é do gato. Aí, jogou, então, R$ 5 no nº 1154, do 1º ao 6º prêmios.
E deu na cabeça, sabe o que? GATO!!!
Só que advinha o nº que deu. Anota: 1100, hauhauhauha
Ou seja, vc se fodeu!
Deixou de ganhar R$ 10 mil porque seu pai jogou 1154 e não 1100.

Chorei de rir!
1bj"

Cara, eu não entendi bosta nenhuma do que saiu, do número do gato ser 11, do pq dele ter jogado no 54, de apostar cincão no 1º ao 6º prêmio e etc e tal... Só sei que meu Pai é um português buuuuuuuuuuuuuuuurro da porra, mano!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Como pode, gente?!?!?! Eu sonho com o bicho certo, com o número certo e o cara vai e me aposta no número errado. 54 números a mais do que eu havia sonhado.
Era tão simples, cassete. Era só jogar no GATO e no 1.100. Cadê a dificuldade nisso?

O que eu faço, agora?!?!?!
Sabe quando eu vou sonhar com o bicho e com o número exato de novo?
É de foder, viu?!

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Eu S2 Metrô de São Paulo!

Ai sabe, se tem uma coisa que eu queria muito que acontecesse nessa vida era ver o nosso prefeito Gilberto Kassab pegando metrô entre às 8h da manhã e às 18h, durante uma semana. Uma semaninha só, vai... não mata ninguém. A gente enfrenta esse CAOS por anos e anos, o que é uma semaninha, né gente?!
Mas tem que ser no horário bão, no rush mesmo. Não me venha fazer campanha em metrô às três da tarde como ilustra a foto ao lado, né?! Sifudê!

Cara, é impressionante como o trabalhador brasileiro sofre. Seja nas ruas, enfrentando um baita trânsito caótico ou então utilizando o meio de transporte público. Não dá pra saber o que é pior.
Só sei que um dia essa cidade vai encaralhar toda e ninguém vai escapar. Vamos todos ficar presos em um trânsito que vai durar dois dias seguidos, igual aconteceu em uma cidade aí que não lembro qual foi agora.

E aí? Ninguém faz nada? Ninguém faz obras, pontes, anéis, túneis ou sei lá o quê pra fluir o trânsito, né?! [Oi, sinto saudades das obras do Dr. Paulo Maluf!]. Sim, pq muitas pessoas preferem ir ao trabalho utilizando os meios de transporte com a intenção de gastar menos gasolina, menos paciência e, de quebra, chegar mais rápido. LEDO ENGANO!

Isso pq as obras para a criação das novas linhas de metrô viraram lenda e até agora nada se fez. Pelo contrário, colocaram mais trens pra circular achando que seria a solução. Tudo errado! Agora o metrô anda mais devagar ainda pq tem sempre que "aguardar a movimentação do trem a frente". O trânsito já chegou até embaixo da terra, amigues, vejam só!

Sem contar as merdas que você tem que ouvir, sabe? "Pessoal, não fiquem na região das portas, isto causa atrasos", CARALHOOOOOS, ONDE EU VOU FICAR DENTRO DESSE METRÔ BOMBADO?! Gente, é uma coisa óbvia, né?! Se eu tô na porta é pq eu não consigo ficar no corredor.
"Só ultrapasse a faixa amarela quando o trem abrir as portas", faz todo o sentido. Mas não na estação Sé, no horário de pico. A avalanche vem lá de trás e você não consegue conter. Eu não sei explicar como as pessoas não caem na via, não sei mesmo. É tanto empurra-empurra que uma hora dessas vai dar merda [e pode dar merda comigo, inclusive!].

Sem falar que o Brasil, um país tropical, onde a maioria dos trabalhadores "braçais" precisam do trem para irem embora e não contam com ventilação adequada. Gente, é necessário ar-condicionado COM URGÊNCIA nos trens. Não é luxo, não... é questão de sobrevivência, de saúde pública, sabe?
Fico imaginando os idosos, as gestantes, os portadores de deficiência e as mães com crianças de colo passando por tudo isso. Eu, uma simples cidadã já passo mal. Ando munida de leque, álcool em gel e sachês de sal ... imagine alguém debilitado de verdade.

Mas olha, sempre tem gente em estado pior do que você nessa vida. Não sei se serve de consolo, mas a situação na China é MIL VEZES PIOR. Os moradores do país mais populoso do mundo também sofrem ao embarcar no metrô, gente. E sofrem de verdade.
Olhando este vídeo abaixo, eu levanto a mão pro céu e tenho até vontade de abraçar nosso prefeito, viu?! Putaquemepariu... o que significa estes guardinhas da plataforma que são contratados e pagos pra te empurrar trem a dentro??
Olha, nem sei do que eu seria capaz de fazer se um japa desses resolve me empurrar pro furdunço. JURO QUE NÃO SEI, BRASIL!


segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Faz-se carreto!

Então gente, como eu vou viajar para mi Buenos Aires querida nesta quinta-feira (11/11), tratei de comprar umas roupitchas novas, né?! Comprei, mas não paguei. Peguei fiado na "lujinha" da esquina e perguntei ao dono se o pagamento poderia ser "só paaaaaaaaaa janeeeeeeeeeeero", estilo Silvia Design!
Bom, as compras foram feitas e o pagamento não foi efetivado, mas acabei de ir até lá com o intuito de honrar meus compromissos. Só que ao invés de pagar, eu recebi, olha só...

- E aí, quando você viaja? - me disse o dono da lujinha, meu parça, mlk doido.
- Vou nesta quinta-feira. Mas quanto é que eu te devo?
- Quanto deu sua conta mesmo? - o cara nem lembra das paradas, véi!
- R$ 130,00
- Ó, faz assim: leva mais R$ 100,00 e me traz um Red ou Black e tá tudo certo.

Pronto, gente. Vou pagar minha compra na lujinha fazendo carreto de cachaça pro dono. Legal, né?!

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Pq não eu?

Minha Nossa Senhora da Bicicleta, dai-me equilíbrio!
São 17h, de uma sexta-feira e me deparo com a seguinte notícia: "Idosos ganham US$ 11 milhões na loteria e doam prêmio".
Cêis entenderam? Idosos. Ganham. US$ 11 milhões na loteria. E doam prêmio. MORRI!

O casal gentil é do Canadá. A múmia mulher tem 78 anos e o véio senhor tem 75. Decidiram doar a bolada pq não sabiam o que fazer com o dinheiro. Aí, rodaram a província de sei lá da onde no melhor estilo Silvio Santos: dando dinheiro a torto e a direito, oooee! Se pá perguntavam: "QUEM QUER DINHEIROOOOOOOOOOOO" pra galere, só pra dar mais pano pra manga.
Aí declaram que não vão sentir saudade da grana pq não tem como sentir falta daquilo que nunca tiveram. E pra finalizar desmerecendo o prêmio, dizem que o que basta mesmo nessa vida é terem um ao outro.

AAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHH, que meigos!
Genteee, acorda, né?! Putaquemepariu. Pra quê isso?

Não me venham com hipocrisia, dizendo que o gesto é lindo, é filantrópico, que visa ajudar o próximo e blablabla pq não é bem assim.
Porra, se não quer o dinheiro, pra quê foi até a maldita lotérica e fez o jogo? PORRA!
Se não tem onde gastar, pq apostou?
Se o dinheiro não importa e o que vale mesmo é estar vivo, pra quê pagou pelo bilhete?

É bonito doar? É lindo, concordo. Quer doar, doe, sem problemas, mas se você doar um agasalho, um alimento, um sapato, seja lá o que for, o ato é o que importa e não o tamanho da ação.
Pôxa, ajude uma, duas, até três instituições, mas DOAR TUDO?

Se eu ganhasse na Mega Sena, a primeira coisa que faria seria comprar uma casa pro meu pai, pra Mazé e pro meu tio avô Lula. Isso é fato! Posso até ajudar uma instituição também, mas é só. Que isso... ganhar o prêmio e doar a parada é sacanagem, beira a loucura e falta de noção!

Olha, cada um faz o que quer da vida, quem sou eu pra julgar, mas minhas pernas estão trêmulas aqui. Meu Pai eterno.
Deus dá asa pra quem realmente não sabe voar. A verdade é essa.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Diálogos essenciais

Cena 1

Na quarta-feira de manhã, sentei para tomar café com a Mazé como de costume. Comi o bom e velho café com leite e um pãozinho na chapa.
Minutos depois fui até a geladeira, peguei meu danone e minhas fibras. Tava precisando, gente. Patrícia Travassos já estava me assombrando durante a noite. Mazé me fitou e aí começou a conversa:

- Preciso de fibras, minha véia. Não vou ao banheiro desde domingo.
- Virgiminhanossasenhora!
- Pois é, mas com isso aqui é tiro e queda.
- Mas pq você não usa aquele supositório do Digo?
- Hein?
- É um instantinho. Você coloca e vai direto pro banheiro
- Quê?
- Ele derrete, Nina. Não dói
- Tchau Mazé!

***

Cena 2

- Filha, onde é que o Bruno mora mesmo?
- Na Bela Vista, Pai. Perto do viaduto Maria Paula, na rua Santo Amaro que fic...
- Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh, sim. Rua Santo Amaro. CONHEÇO!
- Sério Pai? Você já foi naquela rua?
- Já fui. Foi lá que perdi minha virgindade
- Oi? Como assim?
- Ué, foi lá que eu, com 17 anos, paguei uma noite com uma véia pra eu deixar de ser menino
- Você foi em um puteiro naquela rua?
- Puteiro, não. Paguei uma véia só e fui lá.
- A-ah...
- E aí foi isso. Pãtaquepariu, que dinheiro mais mal gasto. Mas eu precisava disso pra perder o medo, Filha. Pq depois disso.... VIIIIIIIIIIIIIIIIIXXXXXXXXXXXXXEEEEEEEEEEEEEE!!!!

Ah, que bom pra ele, né?!

***

Eu sou o mensageiro

Dia desses comprei um livro por acaso na Blockbuster (sim, Blockbuster!). Duas coisas me chamaram a atenção. Em primeiro lugar, o autor. Markus Zusak também escreveu "A menina que roubava livros" e eu simplesmente amei esse livro. Segundo lugar, o preço.
Por míseros R$ 19,90 pude ler um dos livros mais especiais de minha vida: "Eu sou o mensageiro".

Nunca gostei tanto de um cara igual gostei do Ed Kennedy, o anti herói da história. Cheguei até a me identificar com ele em alguns momentos.
Nunca quis tanto conhecer uma pessoa como desejei conhecer Audrey, a amiga e a paixão de Ed.
Senti vontade de rir ao lado dos dois melhores amigos que ele tinha.
Amei um cachorro fedorento viciado em café chamado Porteiro.

Fiquei curiosa, com vontade de chorar, gargalhei, parei em certos momentos da leitura e me peguei analisando tudo aquilo que o cara falava. Entre gírias e palavrões, Ed narra sua missão. Ele não sabe pq foi escolhido e nem qual o propósito, mas cumpre suas tarefas com maestria.

Não consigo definir se prefiro a missão da carta de Ouro, de Paus, de Copas ou de Espadas. Adorei todas, cada uma com propósitos diferentes e emocionantes.

A velhinha que sempre esperou por ele, a mãe que desejava apenas um sorvete, a menina que corria sem confiança em si, a família que sofria abusos, o padre sem esperanças, os irmãos que se detestavam, a família que esperava por luzes no Natal, o velhinho dono de um cinema que não tinha a quem vender um ingresso e por fim, a amargura que sua mãe carregava.
Ele deu alegria e sentido à vida de todas essas pessoas desconhecidas, mas também ajudou seus três melhores amigos: Marv, o mão de vaca, Ritchie, o preguiçoso e Audrey, sua paixão.

Um cara de 19 anos, taxista, fracassado, perdeu o pai alcoólatra, atura uma mãe ranzinza, tem irmãos ausentes, mora sozinho ao lado de um cachorro de 17 anos. Este é Ed Kennedy, o cara que também me deu alegrias e serenidade.

"Estou sempre me perguntando 'e aí, Ed, o que você fez de útil nesses 19 anos de vida?' A resposta é simples: porra nenhuma."

Que saudade que tenho dessa leitura e das sensações que ela me causou.

Obs1.: A foto foi copiada deste Flickr. Achei linda e me vi nela :)
Obs2.: A foto que uso no meu perfil deste blog tem um "quê" de Ed Kennedy. Nem conhecia, mas já amava!