segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Vossa Excelência!

Eu odeio política.
Quer dizer, deixa eu refazer a frase: eu odeio o cenário político do nosso País. Odeio, destesto, tenho raiva, nojo e ignoro.
Na faculdade, eu até gostava de estudar Política e Economia com o Lanzoni de boina. Adorava ler sobre a história do Brasil, da luta pelo direito ao voto e saber que pouquíssimos presidentes fizeram algo que realmente prestou para o nosso país. Dos bons, eu me lembro apenas de Getúlio Vargas e Juscelino Kubitschek. É claro que existem controvérsias com realação aos dois, afinal, ninguém foi 100% bom, 100% honesto e 100% eficaz.
Nosso País tem inúmeros problemas e isso não vem de hoje. É pra lá de complicado arranjar alguém capaz de resolver todos os problemas – mesmo que os básicos – que a população enfrenta: saúde, educação, moradia, transporte e etc...
Acho que a descrença brotou em mim no ano de 1992 quando com apenas nove anos de idade ouvi pela primeira vez a palavra impeachment e vi a galera saindo nas ruas com as caras pintadas e querendo tirar o atual presidente do poder. Fernando Collor de Melo é o nome do rapaz. Meteu a mão no povo até não poder mais. Posava com carinha de santo, era metidinho a mauricinho e fez muita gente quebrar com maldita inflação.
A roubalheira sem limites não é mérito apenas dos presidenciáveis. Prefeitos, governadores, senadores, deputados, vereadores, ninguém presta. Não quero generalizar, é claro que existem pessoas corretas, que trabalham pelo melhor, mas é que até agora ninguém achou UM. (Vale o Suplicy citando Racionais MC’s no plenário?)

2010 é ano eleitoral. Temos que votar para presidente, governador, senador e deputado estadual e federal. Mas só se vê palhaçada por aí. Ninguém leva o Brasil à sério, nem os candidatos e nem a própria população.
Eu acho um SACO ver gente metendo o pau no Serra, outro falando da Dilma, mas o que ninguém percebe é que todos eles são iguais. IGUAIZINHOS. Odeio ler gente que fala que defende tal partido sendo que nem os próprios candidatos são fiéis a uma ideologia. Marina Silva, por exemplo, era do PT, hoje defende o PV. É um samba do crioulo doido! É claro que todo mundo tem o direito de fazer parte do grupo que melhor se identifica, mas existem candidatos que, a cada nova eleição, está em um partido diferente. A Marina foi só um exemplo (melhor eu me explicar pq daqui a pouco surge algum candidato verde deixando algum comentário xucro e anônimo, é claro!).

Aí, você decide parar pra analisar as opções de voto que existem por aí. Marta Suplicy, a loca do botox, já foi prefeita de São Paulo e apelidada carinhosamente de MARTAXA. Criou taxa até pra coleta de lixo na cidade. Depois, em outra ocasião assumiu o Ministério do Turismo e, em meio a crise que acontecia no setor aéreo, mandou a população “relaxar ‘ gozar” nos aeroportos aguardando seu vôo sair com horas de atraso. Tá jóia, né?! Pois bem, ela tá na pixxta disputa de novo, desta vez, como senadora. E quer saber? Vai ganhar. Está liderando as pesquisas.

O Collor já voltou a se eleger também, o Maluf não tem a ficha limpa e também tá solto por aí e assim a gente vai vivendo.

Você entende? Não, nem eu. Mas sabe a diferença entre mim e esse bando de gente engajadas em mudar a história do Brasil? Eu não procuro entender.
Sério mesmo, nem ligo pra isso. Por mim, anularia SEMPRE os meus votos. Sei que muitos de vocês vão dizer que se o povo não se dedicar e não buscar novas experiências, o País não vai melhorar nunca, que o voto é um direito nosso, que devemos honrá-lo e blábláblá wiskas sachê... Mas gente, é impossível exercer nosso poder de escolha com essa tropa do mal que nos oferecem como opção.

É tudo um ciclo. Começa com os políticos, um bando de corrupto implorando seu voto na TV, criando jingles e campanhas repletas de sorrisos e esperanças para iludir o eleitor.
Até humorista, ex jogador de futebol, ex lutador de boxe e cãozinho dos teclados surgem, do nada, querendo fazer parte da palhaçada e abocanhar alguma vaga na política. Tiririca, Marcelinho Carioca, Vampeta, Popó e Frank Aguiar são alguns exemplos.

Aí aparece o cidadão, o trabalhador brasileiro que se identifica com o slogan do Tiririca, por exemplo: “VOTE TIRIRICA, PIOR QUE TÁ, NÃO FICA”. Ou então: “TITICA POR TITICA, VOTE NO TIRIRICA” e pronto, está feita a merda.

Fala sério, né?! Isso é Brasil, gente.

Agora baixaram uma lei aí proibindo os programas de humor a fazer piadinhas que envolvam os candidatos políticos. Fala sério, né?! São eles mesmos que fazem o maior humor, protagonizando as cenas mais hilárias da história no horário eleitoral e mandam um “cala a boca” para quem realmente vive disso. É fora de série! Isso até onde eu saiba se chama CENSURA e já foi vencida há anos...

Por isso eu deixo claro aqui que eu odeio, detesto, tenho raiva, nojo e ignoro qualquer manifestação política nesse meu País. Não é pq eu sou uma cidadã que não exerce o meu dever, mas sim pq é deprimente, é lastimável assistir tanto roubo, fraude e palhaçada e ainda dar voto pra esses caras. É o fim da picada.
A população deveria se unir e, no dia da eleição, VOTAR NULO, ou então, faltar, não exercer a democracia e dar as costas pra tudo isso. É isso que eles merecem, o nosso desprezo, o nosso NÃO. Eu fecharia fácil. Alguém topa?

Deixo aqui uma canção que fala exatamente tudo isso que citei acima. É meu hino contra a política do Brasil. Enquanto vocês se matam defendendo candidato, eu apenas grito: “BANDIDO, CORRUPTO, LADRÃO...”




Obs:. Sei que muitos de vocês vão dizer que eu sou uma sem moral, pq prego que sou Malufista e tals... Saibam que tenho uma enorme simpatia pelo Dr. Paulo Salim Maluf por tudo que ele fez quando foi eleito e pela figura lisa que ele se tornou. Maluf é uma caricatura, gente. É o ser humando mais cínico que já vimos e é justamente isso que eu admiro nele. A capacidade de aparecer na TV, mostrar a cara, sorrir e pedir voto.
É óbvio que ele faz parte do bando de safados, eu sei disso. Fiquem tranqüilos quanto ao meu voto, ok?! Hahahahaha!

Um comentário:

Senta o dedo aí!