quinta-feira, 20 de maio de 2010

Vai lá, vai lá, vai lá!

O mundo dá voltas, meus amigos. Não só em nossa vida pessoal, mas no âmbito esportivo futebolístico também.
Ontem foi dia de jogo. São Paulo X Cruzeiro, valendo vaga na semi-final da Libertadores da América que o CUrintia nunca viu .
Me recordo muito bem deste mesmo jogo, nesta mesma fase do mesmo Torneio no ano passado. O Tricolor perdeu o jogo de ida, lá no Mineirão para o Cruzeiro com o placar de 2X1. O jogo de volta, no Morumbi, foi 2X0 pra eles.
E lembro muito bem desse segundo jogo. Neste mesmo dia, tive que trabalhar e não consegui assistir a partida. Fiquei puta da vida pq além de não conseguir ver o jogo, estava trabalhando em um evento, era aniversário da atriz Mylla Christie. E puta que me pariu, essa engraçadinha fodeu a minha vida.
Na hora de ir embora, pedi para uma colega de trabalho me dar uma carona até a Móoca. Ela era CUrintiana, mas daquelas torcedoras que só conhecia o Ronaldo no time, sabe assim? Pois então, fui ouvindo o segundo tempo no rádio do carro dela. Estava aflita e torcendo pro meu time virar esse jogo. Não deu. Foi foda. E o pior veio depois, com a demissão do nosso técnico querido Muricy Ramalho.
Mas são águas passadas e, como disse no início deste post, o mundo dá voltas...

Tricolor e Cruzeiro se enfrentaram novamente nas quartas de final da Libertadores deste ano. Mas desta vez, a história foi outra.
Primeiro jogo no Mineirão, 2X0 pra gente. Nem eu botei uma fé que venceríamos o Cruzeiro em casa. Além do trauma do ano passado, o Cruzeiro estava bem melhor na competição. Mas nos preparamos, jogamos bem e contamos com a sensacional estréia do nosso centro-avante Fernandão, que participou das duas jogadas que resultaram em gols.
Ontem, jogo de volta no Morumbi. Lá estava eu e mais 52.000 torcedores confiantes na classificação. O Cruzeiro precisava ganhar de dois gols de diferença. Meta difícil de alcançar.

O time entrou em campo e eu estava na fila do banheiro. Mas o melhor da festa eu não perdi. É, tudo bem que não vi o Kleber ser expulso aos 2 minutos de jogo, mas quem disse que isso importaria alguma coisa?
Vi um golaço do Hernanes, depois do lateral Júnior César entortar o zagueiro cruzeirense. Que lindo! A diferença que já era grande, ficou maior ainda.
O jogo estava bonito. Defendemos como sempre, desarmamos muito e atacamos sem parar. Colocamos a Raposa na roda, só no toque de bola.
O segundo tempo foi melhor ainda. Logo início, nosso Fernandão ajeitou de cabeça e Dagoberto marcou mais um. Me rendi!
Os minutos restantes foram de pura exibição. Passes precisos e os gritos de “Ooooooolléééé” embalaram os jogadores.

Eu estava lá, gritando, sem sentir frio, com quatro parceiros queridos (que me escoltaram o tempo todo, me senti a Paris Hilton!), só alegria.
Os gritos da torcida, a ôla, o sorriso, os dribles e a vitória fizeram desta noite um momento inesquecível. Agora sim!
Como disse meu amigo: “Vocês não queriam ver o São Paulo jogar bem, porra?! Tá aí!!!!”. Tudo perfeito, estilo a era do mestre Telê Santana que não deixou de ser lembrado e homenageado por nós.
A noite acabou e torcida Cruzeirense voltou pra Béozonte saboreando o gostinho da eliminação, aquele mesmo que sentimos no ano passado.
Eu voltei pra casa feliz e otimista. Se jogarmos dessa maneira daqui pra frente, não tem pra ninguém. É TETRA!



PS.: O vídeo abaixo é um retrato de como foi ontem. Conta ainda com os depoimentos de R.Ceni, Fernandão e Pirulito.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Senta o dedo aí!