terça-feira, 6 de outubro de 2009

A tradução de amizade

Amizade pra mim é isso. Amizade para mim são elas. As duas. Melhor ainda se vierem juntas.
A gente se entende, assim como amigas de verdade devem se entender.

Sem cobranças, sem ciúmes, sem preferências.
A gente combina e pronto. Se não der, a gente remarca.
Nós rimos de nós mesmas, seja em casa, no carro ou no bar.
A gente viaja. Seja nas idéias, Mongaguá, Santa Branca ou Porto Feliz.
A gente chora. A gente se escuta. A gente se ajuda.
Não precisa ser todo dia, mas só o fato de TER, basta. E eu tenho. As duas. Há 20 anos.
A gente se zoa. A gente se apelida.
Se elogia e se critica. Se abraça, se beija e se olha.
O olhar e o “alô” ao telefone são inconfundíveis.
Mensagens, emails, scraps.
A bola de futebol, a bola de vôlei.
As escolas em comum.
Planos futuros, sonhos de uma amizade envelhecida.
Uma diz que eu sou muito encanada. A outra controla o sal que coloco nas porções. E assim nós vamos vivendo...
Poucas coisas nos incomodam. Os defeitos passam batido diante das qualidades que vocês têm.
Duas guerreiras que eu morro de orgulho.
Uma de Aquário, a outra de Câncer.
Uma caseira, outra viajante.
Uma é ligada nas tendências da moda e a outra é ligada nas tendências da ginástica.
Eu? Sou alternativa, segundo elas.
Uma produz e grava, a outra projeta e constrói.
Eu? To aqui tirando onda e escrevendo prá vocês duas. Sem exceção!
As músicas, as cartas, os passeios (com hora marcada de volta), as danças, as amizades (quase sempre compartilhadas em três), as famílias que se preocupam.
A nossa infância.
A nossa adolescência.
A nossa juventude.
Nossas descobertas, dúvidas, aventuras, compromissos.
O estudo, o trabalho, o espanhol, o inglês, a pós graduação, a carteira de motorista, a viagem e a poupança.
Objetivos divididos.
A sinceridade e a confiança. Aquelas de tempos atrás. Que nos acompanham.

Eu posso passar dias, meses e até anos sem ver ou falar com vocês. Mas o meu coração vai sempre desejar o bem.
Vocês são minhas irmãs de coração, aquelas que escolhi para dividir toda a minha vida.
Obrigada por tudo.
Jú e Mari, eu amo vocês. Suas Toiças!






2 comentários:

  1. Oi Nina!
    Que inspiração, hein?! Adorei seu post. Achei lindo demais. Deu saudades de algumas amizades antigas (dessas que crescemos e aprontamos juntas), que por culpa do tempo e das atribuições da vida, acabamos abrindo mão. Isto é, não amizades que eu tenha perdido, pois não perdi, tento cultiva-las. O problema está em não conseguir cultivar da mesma maneira, pois a vida dá voltas diferentes, né....mas me fez pensar também nas amizades em geral. Engraçado, pois nesse momento sinto que meu grande companheiro de todas as horas é o Piffer: maridão, amante e amigo. Não consigo imaginar minha vida sem ele. Acho que nenhum amigo (a) preencheria o vazio que ele deixaria.

    Te adoro e sua amizade é especial para mim (mesmo não tendo 20 anos, rs).

    beijos

    ResponderExcluir
  2. nossa roberta nina galisteu cada vez vc se supera mais nessas suas postagens.
    saudades de uma melhor amiga minha q mora na Bahia...
    saudades mesmo minha amiga desde 1980 (ai caralheooo é tempo de mais).
    hj é dificil termos oportunidade de ter alguem por tanto tempo como no caso de vcs, por isso, tendo oportunidade fiquem juntas mesmo. Sempre

    bjs

    wa

    ResponderExcluir

Senta o dedo aí!