sexta-feira, 16 de outubro de 2009

CLICK!

Essa semana, depois de muuuuuiiito tempo, fui revelar algumas fotos. Fui até a famosa Fotoptica mas não pude fazer a revelação por lá. Quer dizer, até poderia fazer mas demoraria cerca de 7 dias úteis para eu retirar as fotos reveladas (coisa que pode ser feita em apenas 1h em outras lojas). O motivo é que a Fotoptica está mudando o FOCO do seu trabalho e com o intuito de ampliar sua VISÃO apenas para o mundo das óticas mesmo. Deu pra entender, né?! Foco + Visão = Nova cara da Fotoptica.
Pois bem, fui em outra loja e, cara, tá tudo tão diferente hoje em dia, né?! Primeiro pq as fotos que queria ampliar não estavam em um filme fotográfico mas sim em um pen-drive. Segundo pq eu não fiquei espremendo minha visão para identificar uma pose no negativo, eu apenas coloquei o dispositivo em uma maquininha eletrônica da Kodak e pude ver tudo que eu queria, escolher quantas cópias, qual o tamanho, com margem ou sem margem tudo pela tela do computador.
Estranho, né?!
Vocês devem estar achando que eu sou uma Jeca Tatu do Mato que não tinha noção de como anda o processo de revelação de fotos por aí e, oi, vou falar que eu tinha uma leve e básica introdução neste mundo fotográfico tecnológico, sim.
Minha gente, eu sou do tempo da máquina com filme. Aqueles que você escolhia quantas poses queria comprar para bater seus retratos: 12, 24 ou 36.
“36 é muito caro, 12 é muito pouco, vamos comprar o de 24 pq tá de bom tamanho e sempre sai com duas ou três poses a mais e tá jóia”. Esse era o meu pensamento na época.
Não faz muito tempo, não. Lembro quando eu fui para o Beto Carrero World (que Deus o tenha) na formatura da oitava série (eu disse que não fazia muito tempo, viu?!) o meu Pai me deu uma máquina fotográfica de presente. Não era uma suuuuuuper máquina mas quebrava um galhão e me acompanhou por muito tempo.
Além de usar na viagem, eu ia todo final de semana para Porto Feliz com ela na mala. Tenho um mooonte de fotos dessa época boa da minha vida.
Tb levava a bendita no CT do São Paulo. Sim eu ia nos treinos do Tricolor só para tirar fotos das pernas dos jogadores, principalmente do Denílson (abafa, vergonha alheia). Sim, eu era fã do Morcego. Tenho fotos dele até hoje (autografadas, inclusive).
Lembro da tensão que tomava conta da minha pessoa a cada ida à loja levando o filme para a revelação. Eu nem tirava ele de dentro da máquina com medo de queimar tudo. Ficava na expectativa para que aquela 1h voasse para eu ver as fotos que tinha tirado. Olha só... Hoje em dia você bate a foto e na mesma hora já vê como saiu, se alguém piscou, se a imagem tremeu. Aí é só deletar e fazer outra. Pronto!
Tudo tão fácil... Mas não tem mais a expectativa. É chato assim.

Eu sempre gostei de fotografar, mas nunca tive (e nem tenho) uma maquininha sequer. Dá pra acreditar? É verdade. Só tive aquela máquina de filme, a companheira de aventuras e mais nenhuma. Dá até vergonha de falar isso até pq eu fiz um curso de fotografia em 2006. Era muito bacana!
Fiz na Focus, na Rua Riachuelo no Centro. Lá a gente aprendia do básico (tirando fotos com máquinas movidas a filme e depois revelávamos as fotos no estúdio) até o Photoshop. Fiz sete módulos em uns 4 meses, no máximo.
Aprendi pra que serve obturador, diafragma, tele objetiva e etc... E me pergunta se eu lembro de alguma coisa? Claro que não! Quer dizer, algumas coisinhas, sim... mas bem poucas. Mas é foda fazer o curso e não dar continuidade, sabe? Nem uma máquina digital eu tenho... aí é complicado!
Mas o mais gostoso das aulas eram os passeios fotográficos pelo Centro de São Paulo. Aaah, que irado!
Eu ia para o curso às 19hs e nas aulas práticas, os professores saiam conosco munidos de câmeras, tripés e lentes de todos os tipos para fotografarmos o Teatro Municipal, o Mosteiro de São Bento, o Viaduto do Chá... Tudo isso a noite. Só os professores, os alunos e os marginais, os pedintes, os ladrões que habitam aquela região.
Sinto saudades! Matei um pouquinho dela resgatando as fotos que fiz naquela época e vou postar algumas aqui.
















Ah, um lembrete: Minhas amigas fotógrafas (Kaká, C.Zaine e Bubu) aceito uma trip qualquer para fotografar qualquer coisa que seja. Assim eu relembro um pouquinho e vocês me dão umas diquinhas (além de me emprestarem uma máquina, é lógico!). E aí? Topam ou não topam? Vamo caí pra dentro?

4 comentários:

  1. roberta nina galiteu

    esse seu post me fez lembrar o meu desejo de fotogafar a cidade de São Paulo a noite.
    morro de vontade de fazer isso mas me falta a coragem de peregrinar a noite no centro e ainda sozinha!!
    vamos comigo pleaaaseeeeee?

    para quem nao manja de fotografias (como vc disse) o que posso dizer é que suas fotos estão bárbaras!!

    bjs

    ResponderExcluir
  2. o meu nome está entre parenteses? se for, eu topo, nada de centro ou à noite, rs..a cam é de filme, porque é mais legal esperar pra ver que só uma foto prestou do rolo... aquele abraço!

    ResponderExcluir
  3. eu topo sim, porque não? ééé, voltei :D

    ResponderExcluir
  4. Caras Amigas.
    Olhando estas fotos vi que a camera estava estragada... nenhuma está no nível (prumo). acho bom levar a uma assistência técnica.
    Vai ficar muuuito melhor.
    Abs,
    Gladstone.

    ResponderExcluir

Senta o dedo aí!