segunda-feira, 31 de agosto de 2009

GREEN STORE



Modelos da Green Store – a loja da minha queridíssima Carol Zaine.
Sábado rolou uma sacolada no anivers da Kelly e sessão fotográfica para divulgar as lindas pecinhas da loja.
Eu, mesmo com uma gripe suína básica, estava lá, sorrindo, trepando na gaiola das crianças e espalhando o H1N1.

Galera, conheçam a GREEN STORE. Tá aqui o endereço do blog, orkut e Twitter.

Sorte p/ vc, Flor. Clientes você já tem (NOIS MEMU!).
Bora pro caderninho :p

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Me FÚ e te FÚ!


Ora, ora, ora…
Tudo é possível com a Internet, né?! Você pode pesquisar de tudo, falar com pessoas que estão do outro lado do mundo de forma instantânea, traçar rotas e caminhos, ver sua casinha no Google Maps, xeretar a vida alheia (nos orkuts e facebooks da vida) e até mesmo trocar um proceder com o ex prefeito de São Paulo, Sr. Paulo Salim Maluf (@paulosalimmaluf) no Twitter.
Pois bem. Avanços tecnológicos e inclusões digitais são importantes, concordo. Mas tem coisas que não dá pra fazer pela internet, né gente?! Dois exemplos:

Sexo pela Internet
Poora, mas como assim?
A real é que você vai assistir videozinhos de sacanagem, vai ficar locão, vai se auto-ajudar e vai dormir sozinho. Não é? Eu acho que funciona assim e não vejo graça nenhuma.

Visitar museus pelo mundo
Pára!
Meu sonho é ir para Paris, a maioria dos meus amigos sabem disso. Recebi um e-mail certa vez com imagens (e sons) da Torre Eiffel. Você ia girando, girando (tipo 180 graus) e via tuuuudo o que tinha em torno, olhava pra cima e pra baixo... Como se estivesse visitando a Torre mesmo.
E? É a mesma coisa? Óbvio que não. Imagina. Nunca será.

Agora, uma coisa que me deixou meio... sei lá, chocadinha, foi a idéia do Governo Federal em disponibilizar um cartão virtual (tipo aqueles que você recebe quando faz aniversário) para os portadores de DST enviarem à alguma pessoa com quem se relacionaram recentemente e não se preveniram para evitar o contagio da doença.
Deu pra sacar? Pois é, isso mesmo que eu to falando. Fulano de tal, portador de alguma DST te levou pro abate, te pegou de jeito, sem camisinha (no pêlo), te fez feliz (ou não) e foi embora sem te avisar que tinha tal doença (e também sem se preocupar em não te passar a parada).

E foi aí, pensando em você, feladaputa dos inferno ser humano, passível de erros, que o governo federal disponibilizou estes cartões virtuais para que você possa enviar para a pessoa que você contaminou. E o melhor de tudo (opa, tem melhor, sim), você pode enviar os postais ANÔNIMAMENTE. Basta entrar no site e enviar. Olha só...



Enfim, você contaminou alguém e vai ter as moral de mandar um cartão postal com estes dizeres acima? Cara, na boa, eu incorporaria o “Jeremias Caba Hômi” e, literalmente, “matarra miiiiiiil”.

Que palhaçada!!!!!!! E eu acredito que o Governo Federal tenha achado a idéia supimpa, funcional e digna. Ah, claro que é...

Vocês acreditam que possa existir gente desse tipo? Gente que transa com todo mundo, sem prevenção, eu sei que existe. Mas tô dizendo de gente que tem relação com everybody, sem camisinha e ainda por cima manda um postal (anônimo) pra avisar que te contaminou?
Não, não é possível que exista. Sinceramente! Não entra na minha cabeça...
E pior ainda é ver o governo criando uma campanha que não tem sentido nenhum, que é feia e, que, de alguma forma, apóia o relacionamento superficial até mesmo com gente que teve o dom de se deitar, pelado, com outro na cama, em um momento tão íntimo.

Pelo amor, hein?! Fora de cogitação!
Eu estou passada!

São Paulo X Palmeiras

Gente, sonhei que o Tricolor ganhava da Porcada no domingo.
E eu ficava tão eufórica que nem torpedo eu mandava pro Magal. Eu ligava pra ele e alopraaaaaaaaaaaava muito!

O jogo é domingo lá no nosso estádio. E eu vou!

“Domingo eu vou lá no Morumbi (eu vou, eu vou)
A Independente vai invadir,
Vou levar foguetes e bandeiras,
Não vai ser de brincadeira,
Ele vai ser campeão,
Porque eu não quero, cadeira numerada,
Eu vou de arquibancada,
Pra sentir mais emoção,
Porque meu time bota pra f***r,
E nome dele é vocês que vão dizer,
Oô, oô, oô, oô oo, oô oo, oô,
São Paulo!”

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Só o momento é diferente…

Certa vez, há uns sete anos atrás, gravaram esta música em um CD e me deram de presente. O ritual era de praxe, mas a música foi uma novidade para mim. Não conhecia e não entendi pq ela fazia parte daquele CD só com músicas bonitinhas e românticas. Achei meio triste, meio melancólica, mas depois de algum tempo, passei a vê-la de maneira diferente.

É uma música linda, com um som gostoso e uma letra realista. Vira e mexe, ela me vem à cabeça. E hoje, agora pouco, ela veio. Não sei pq...

***
“É preciso ter um tempo longe daqui
Tempo de ficar só
De andar na areia e sumir
O amor verdadeiro não reage assim
Pode fazer melhor
Esconde o medo e sorri

Quem já nadou contra a corrente

Sabe usar o vento a favor
Só o momento é diferente
É a mesma ferramenta que usou

Eu não preciso mais fazer o que você diz

Dei valor ao meu suor
Ninguém decide por mim
Se eu agi errado me perdoe porque eu não quis
Amarrar outro nó
Que prende pra dividir

O que impede de andar pra frente

É a direção que escolheu
Se um abismo separa a gente
Quem fez a escavação não fui eu
Eu sei que gente que tem coragem não finge
Que nada disso aconteceu

Quando eu acordei era fim de tarde

Meu lado claro escureceu
(Um novo sol só de manhã)
Faz envelhecer tendo a mesma idade
De tanto que a alma sofreu
Eu sei que gente que tem coragem não finge”

Quem tem coragem não finge - Rodox





terça-feira, 25 de agosto de 2009

"Para a criança o tempo é eterno, de repente temos 50 anos e tudo que restou de nossa infância cabe numa caixa enferrujada"




Frase do filme "O Fabuloso Destino de Amelie Poulain" (o meu preferido) que foi selecionado pelo site IMDB - especializado em cinema - como uma das melhores produções do novo milênio.

Confira aqui a lista completa dos melhores filmes de 2000 pra cá.

Eu mereço!

E ser jurada do MISS IPIRANGA, me diz, alguém merece?
Claro que merece.
E esse alguém sou eu.

Você me paga, Cocão!
Me deu uma vontade de visitar o Rio de Janeiro.
De passear pelo Cristo, Petrópolis, Santa Teresa, visitar o Maraca.
Queria tanto...

Não teve graça!

Ontem, no evento na Casa das Caldeiras, na Barra Funda:

Eu: Nossa, hoje está um baita trânsito. Você conseguiu chegar aqui sem errar o caminho?
Chef do restaurante XPTO: Errei o caminho. Vim do restaurante direto pra cá. Muito fora de mão fazer evento por aqui. Geralmente são feitos mais na Zona Sul
Eu: É. Difícil ter evento pras esses lados.
Chef do restaurante XPTO: E nenhuma de nossas franquias é perto daqui. Acho que a mais próxima é a minha.
Eu: Ah, a casa do Tatuapé também não fica longe.
Chef do restaurante XPTO: Ah, pode ser... Tatuapé é longe de tudo.
Eu, engolindo seco e sorrindo cinicamente: Ah, é...

Minutos depois

Chef do restaurante XPTO: Quero ver pra eu ir embora daqui. Vou pegar o maior trânsito.
Eu: Onde você mora?
Chef do restaurante XPTO: Moro no Morumbi. E você?
Eu: MORO NO TATUAPÉ, LONGE DE TUDO!!!!!!!!!!!
Chef do restaurante XPTO:
Errr, hahahaha.


Palhaço!!!

*Ps.: A pessoa conveniente teve a identidade preservada!

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Cói-Cói

Eu durmo com um Cói-Cói toda noite. Desde criança, o Cói-Cói sempre me acompanhou.
Não sei como surgiu essa mania, mas toda vez que ficava doente, ou chorava durante a noite, minha mãe ia até meu quarto, abria a gaveta e me dava uma camiseta dela pra eu dormir cheirando.
Ela dizia:
- Toma o Cói-Cói da mamãe pra você dormir, Chimbica!
Ai, era tão bom!

O tempo foi passando, mas eu não perdi essa mania. Eu sempre durmo com uma camiseta minha por perto. Principalmente nas noites em que a sinusite ataca. Nessas horas, eu cubro minha cabeça com o Cói-Cói, durmo tranqüila a noite toda e saro da dor de cabeça.

Mas eu tenho saudade é do Cói-Cói da Mamãe. Daquele paninho... daquele cheirinho!
Ai, ai... Que falta que faz!

domingo, 23 de agosto de 2009

Sem título



E o tal Rubens Barrichello que tem DEZESSEIS anos de carreira conseguiu sua DÉCIMA vitória na F-1 neste domingo.
Merece um suuuuuuuuuuuuper parabéns pelo desempenho ao longo dos anos, não?!

Ah, eu acho....



sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Madruguei!

Se você acha que acorda cedo, tipo 5h, 6h da manhã, pára tudo!
Hoje eu levantei eram 4h30 da madrugada. Sim, pq aqui na fiiiiirrrrma todo mundo entra às 8h da manhã – MENOS EU!
Parece exagero, mas não é. O metrô na linha vermelha (sobe BG da Tropa de Elite: Parapapapapapá) às 6h da manhã não é vazio, não, meu povo. Eu tenho que sair sempre antes pq tudo é cheio, tem fila e se chove, aí é que a coisa complica de vez.

Meu horário foi acertado com o Chef, portanto, ninguém deveria me encher o saco, mas... O povo do RH quer me dar cartão pra bater, quer que eu faça uma autorização com o meu horário especificado, assinado, carimbado, embalado, etiquetado (tipo o Baú Baú da Graneiro!) e etc...

Peraí gente. Eu trabalho com Comunicação! Aqui não tem horário pra nada. Por um acaso vão me pagar o final de semana que eu trabalhei em Campinas? Onde eu bato o cartão enquanto estiver em reunião fora? Alguém vai me compensar pelo evento que eu tenho que ir na segunda-feira depois das 20h? Então, pode parar!

Mas o que me deixou nervosa é que tem um tiozinho aqui, muito do feladaputa esforçado, que mora lá na PQP no ABC e todo dia sai às 4h e pouco da casa dele (mas de carro!) pra chegar aqui às 8h. E chega até antes. Um exemplo de mala sem alça trabalhador a ser seguido. E bem na verdade, eu fiquei bem puta de saber isso.
E pensa que eu não sei que o povo fica falando coisas do tipo, “Pô, Tatuapé Querido nem é tão longe assim pra essa menina chegar aqui às 10h”.

Bom, mas foda-se. Ontem eu pus na cabeça que eu ia sair de casa e iria chegar as 8h no escritório e assim começou a saga.
Metrô e busão. Uma pescada básica e enfim, CHEGUEI!!!!
E cheguei sabe que horas? 7h10. SETEEEEEEE E DEZZZZZZZZZ!!!! Um marco pra minha vida. Nunca entrei tão cedo numa firma.

A minha alegria seria plena se não fosse eu chegar aqui e receber o primeiro BOM DIA do dia do tiozinho feladaputa esforçado que mora lá na PQP no ABC e todo dia sai às 4h e pouco da casa dele (mas de carro!) pra chegar aqui às 8h. E chega até antes. Um exemplo de mala sem alça trabalhador a ser seguido.

Sifudê, viu?!

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Discorrendo sobre

Companheiro: 1. Aquele que acompanha. 2. Camarada, colega.

Companhia: 1. Ato de acompanhar. 2. Aquilo ou aquele que acompanha. 3. Pessoa com quem se está ou se vive. 4. Comitiva. 5. Convivência. 6. Sociedade comercial

Acompanhar: 1. Ir em companhia de; seguir. 2. Seguir a mesma direção de. 3. Observar a marcha ou evolução. 4. Ser da mesma política ou opinião que. 5. Executar o acompanhamento. 6. Fazer-se acompanhar; rodear-se. 7. Unir-se; associar-se. 8. Cantar, tocando ao mesmo tempo o acompanhamento.

Pra mim está tudo muito claro e correto.
E pra você?

Comentando a rodada

Eu sei que isso aqui tá parecendo o blog do Juca Kfouri ou do PVC pq eu só falo de futebol, mas, pôxa, levem em consideração que este pode ser meu último ano torcendo pelo São Paulo Futebol Clube, então, me deixem estravasar.

São Paulo X Fluminense
O Capitão e futuro Presidente voltou. Fez defesas importantíssimas! E o nosso Ricky fez um golaço em cima do Fluzinho.
Passamos um aperto no segundo tempo, relaxamos, mas a vitória veio. Estamos a um pontinho da Porcada. Isso pq ninguém acreditava no meu time, hein?!
Lembro que, no começo do BR09, quando o SP perdeu do Galo, recebi um torpedo do Curintiano mais chato e sem noção desse mundo (é você, Magal) dizendo que iríamos pra segunda divisão.
Acorda meu filho! Aqui é a elite do futebol. Todo mundo já caiu, mas a gente não!

Inter X Curintia
Como o Colorado tem dois jogos a menos que nós, comecei a noite torcendo pra que eles tropeçassem. Não é fácil não secar a Galinhada, viu?! Mas eu fiz isso ontem.
Com gols impedidos, a Gambazada conseguiu atropelar o Inter lá no Beira-Rio. O foda é agüentar o Magal. Gente, esse cara é um iludido da vida....

Coritiba X Palmeiras
Aaah, esse foi o jogo que escolhi para assistir. Ouvia o Tricolor pela Jovem Pam AM e secava (e muito) a Porcada.
Marcelinho Paraíba (ex São Paulo) fez a minha alegria nos acréscimos do segundo tempo. E o líder vem de uma ótima seqüência de empates e agora, uma derrota. Enquanto isso, O TRI vai encostando...

Mas o que me intrigou mesmo foi a entrevista coletiva do Mestre Muricy. Todo calmo, sem ser xucro, respondendo a todas as perguntas sem aquele típico “sangue nos zóio” que costumávamos ver quando comandava o São Paulo.
E vocês querem mesmo saber da verdade? Ele está pouco se lixando para vocês, Porcada. Na boa, ele tá faturando milhões, dirigindo um time que ele nunca torceu de verdade e tem que ralar pra dirigir essa turma pq, vamos ser sinceros, a Porcada não tem um time bom, vai?! Marcão, Diego Souza e olhe lá...
No São Paulo, o Mestre Muricy dava o sangue, tinha paixão, não ganhava horrores, por isso ele suava a camisa para trabalhar. E a coletiva de imprensa, era um show a parte. Ai de quem se metesse a besta com ele.
Mas ontem, o Mura tava de boa. TRANQÜILO. Ganhando muito pra dirigir um time aí.
Na boa, Porcada, pede pro Jorginho voltar, vai!

Então, a campanha segue: São Paulo Campeão e eu adoto o Santa Cruz pro meu coração!

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

terça-feira, 18 de agosto de 2009

E mais SANTA!

Meu possível novo time é destaque na revista Istoé desta semana.
Vou colar na íntegra a matéria sobre a triste (e tanto quanto engraçada) trajetória do Tricolor de Pernambuco nos últimos anos (meu Deus, quarta divisão do futebol brasileiro).

E eu nem sabia que meu irmão tinha escrito sobre eles. Que relapsa!

***
Um time em férias forçadas

A história dramática do Santa Cruz, que, com uma torcida fanática e a segunda maior média de público do futebol brasileiro, foi eliminado na primeira fase da quarta divisão e não joga mais neste ano

Rodrigo Cardoso














"Eu sou Santa Cruz de corpo e alma/E serei sempre de coração/ Pois a cobrinha quando entra no gramado/ Eu fico todo arrepia do/E torço com satisfação."

Esse é o hino popular do Santa Cruz Futebol Clube, que tem a cobra-coral como mascote por conta das cores vermelho, branco e preto, as mesmas do time. No domingo 9, foi a última vez no ano que a música entoou nas arquibancadas e a cobrinha entrou em campo. Campeão pernambucano 24 vezes, time mais popular do Recife e dono do segundo maior estádio particular do Brasil, o Arruda (com capacidade para 60 mil pessoas), o Santa Cruz empatou com o CSA, de Alagoas, jogando em casa. Foi eliminado na primeira fase da série D do Brasileirão ao terminar na lanterna de uma chave de quatro equipes - duas se classificavam. Seus torcedores terão de aguardar até janeiro de 2010, quando começa o campeonato pernambucano, para voltar a saudar a cobrinha.

Reunidos na terça-feira 11, dirigentes e torcedores concluíram que a administração atual, empossada em outubro, marcou gols gerenciais, mas pecou pela falta de experiência na condução do futebol. "Tivemos problemas no ataque do time", diz Roberto Arraes, presidente do conselho deliberativo. "Mas também tivemos azar: em quatro jogos chutamos 12 bolas na trave. Se uma entra, a história é outra." Com a inatividade à vista, o Santa Cruz poderá amargar um prejuízo de R$ 1 milhão até o fim do ano. A folha de pagamento de R$ 270 mil deve sofrer um corte. "A ideia é ficar com 20 dos 33 jogadores", diz Arraes. Para piorar, funcionários administrativos reivindicam o pagamento de três meses de salários atrasados - cerca de R$ 350 mil.

Motivo de comemoração é a fidelidade dos torcedores, um caso singular diante da pífia campanha do time. Mesmo na série D, o clube registra a segunda maior média de público jogando em casa, superior à de Corinthians e Flamengo, da série A (leia quadro). No último jogo, no domingo 9, 30 mil pessoas estiveram no Arruda. "A dificuldade da conquista aproxima sentimentos de sofrimento de torcedores de clubes de massa", diz Túlio Velho Barreto, do núcleo de sociologia do futebol da Fundação Joaquim Nabuco, do Recife. A arquibancada estava tomada por pessoas que passavam a mão no rosto em desespero e juntavam as palmas em oração. "Lembro de olhar para o público e ver que ninguém ficava sentado, tamanha era a angústia", conta o jogador Alexandre Oliveira, 31 anos. Capitão do time e torcedor declarado do Santa, ele é o retrato da tristeza que tomou conta do Arruda após o empate com o CSA: caiu em prantos no momento em que o time da cobra-coral deixou o campo e entrou em férias forçadas.

Trata-se do capítulo mais triste da história do clube, que revelou jogadores como Rivaldo, Givanildo e Ramon. Pior do que amargar três rebaixamentos seguidos desde 2006 é não conseguir ascender a uma inexpressiva série C. Ao contrário do que se podia esperar, considerando a cultura do futebol brasileiro, não houve protestos por parte dos torcedores. A torcida do Santa Cruz, que se denomina a mais fanática do Brasil, parece conformada com o fato de o time ter chegado ao fundo do poço - não existe série E no Brasileirão. Para esses apaixonados, o pior é passar cinco meses sem ter para quem torcer. "Não importa se estamos na série A, B, C ou D ou o placar do jogo", diz Augusto Dornelas Câmara, 66 anos, filho do fundador do clube. "O nosso prazer é manifestar a paixão pela instituição."







O PIOR DOS PIORES


A fase negra do Santa Cruz encontra paralelo em outro time do Recife: o Íbis Sport Club, que há um ano não disputa uma partida oficial. O Íbis ganhou fama nos anos 80 por ficar 55 jogos seguidos sem ganhar e figurar no livro dos recordes como o pior time do mundo. Este ano, pela primeira vez em 70 anos, o Íbis passa uma temporada sem disputar um torneio. "A gente não tem perdido porque também não tem jogado", resume Felipe Gomes, sobrinho-neto do fundador do clube. Como não possui sede nem campo, o Íbis necessitaria de R$ 20 mil mensais e um acordo com alguma cidade para disputar seus jogos.

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

CHEGA DE SER CAMPEÃO. VOU TORCER PRA QUEM PRECISA!

Já faz um tempo que eu venho falando isso no Twitter, mas vou reafirmar aqui:

SE O MEU TIME (SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE) FOR CAMPEÃO BRASILEIRO PELA QUARTA VEZ SEGUIDA NESTE ANO, EU VOU MUDAR DE TORCIDA.

Ah, vou mesmo....
Pra quê torcer pro São Paulo? Qual a graça? Todo ano a mesma história? Virge, chega, to cansada!

Pensando nisso (e em aloprar muito a raça CURINTIANA) que eu afirmo a cada rodada que essa história tem fundamento e é verídica.

E, neste final de semana, depois de urrar pela vitória do meu Tricolor em cima do Sport lá em Recife aos 48 do segundo tempo, decidi qual vai ser o time premiado com a minha torcida: O SANTA CRUZ!

Sim, vou torcer pro Santa. E o que tem?
O Santa Cruz disputou em 2009 a recém-criada Série D e foi eliminado na 1ª fase. Agora, o clube tentará classificar-se novamente para a Série D no Campeonato Pernambucano de 2010.

Quer mais emoção e sofrimento que isso? Imagina... não existe! Nem se torcer pro CURINTIA ganhar a Libertadorzinha nos próximos 30 anos eu passo por tanta tristeza assim!

Se liga na introdução:
O Santa, como é chamado, ostenta entre as suas principais conquistas, 24 títulos estaduais e também o título de Fita Azul do Brasil em 1980 (porra, não era nem nascida. Realmente uma pena eu não ter comemorado o título de Fita Azul), já tendo sido semifinalista do Campeonato Brasileiro na década de 1970 (Óóóó sóóó), sua fase áurea. Também é conhecido por ser proprietário do segundo maior estádio particular do Brasil, o Arruda (Caraio mano, so perde pro Morumbi!), palco de diversas partidas da selecão brasileira (Qual selecão? A Canarinho? Ah, é nadaaaaaaaa, gente?!). Possui rivais históricos, dentre eles, o Sport a qual protagoniza o Clássico das Multidões e o Clássico das Emoções contra o outro rival, o Náutico (Porra velho!
Emoção e multidão, que demais!)



E a minha prima Fyna (também adepta da mudança, vai passar a torcer pelo AVAÍ ano que vem) me encorajou na decisão do novo fardo: “O melhor é que o Santa Cruz não tem como piorar, logo é um time promissor!!! Sorte, prima!!!!”

E não é que faz sentido?
Já estou munida de história e hino do meu possível novo time. Sim, pq vocês acham que o São Paulo não vai levar o caneco (DE NOVO, MAIS UMA VEZ E OUTRA VEZ) esse ano? Vai vendo, então...

Enquanto isso, eu vou decorando o hino do Santa!

Ah, eles tem o hino oficial composto em 1952 e uma outra canção com o nome de “O Mais Querido” que foi adotado pela torcida tricolor durante o passar dos anos e hoje é mais famoso que o hino oficial do clube:

“Santa Cruz!
Santa Cruz!
Junta mais esta vitória
Santa Cruz!
Santa Cruz!
Ao teu passado de glória.

És o querido do povo
O terror do Nordeste no gramado
Tuas vitórias de hoje
Nos lembram vitórias do passado
Clube querido da multidão
Tu és o Supercampeão”

Uhuhuhu... SUPERCAMPEÃO!!!!!!!!
Acho que vou me dar bem. É Tricolor. Ta tudo em casa!

sábado, 15 de agosto de 2009

If I was a rich girl...

Se tem uma coisa que eu queria muito GANHAR nessa vida, essa coisa se chama MEGA SENA!

Imagina?
Na boa, eu não tenho a menor idéia do que eu faria com o dinheiro. Tenho uma breve idéia, sim, vai.. mas eu acho que ficaria tão nervosa que nem sei.. me faltam até palavras pra escrever sobre isso.

Gente, 30 milhões de reais. Alguém já parou pra pensar no que é isso? É dinheiro demais, Brasil!

Bom, hoje tem sorteio da dita-cuja. E eu estou nervosa!
A única coisa certa é que eu daria 1 mísero milhãozinho pra Mari, conforme me foi IMPOSTO! Né, folgada?!

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

“Ela nem me deu bom dia e já se foi pra Padaria...”

Juro que eu não estava mais comprando o pão de cada dia na padaria que fica na esquina de casa. Estava indo na outra padoca, mais longe, andando mais, cansada, depois do trabalho, com meu salto agulha e meu vestidinho preto indefectível (oi?) só pra evitar as abordagens do moço-dono-proprietário, sei lá o quê daquele lugar...
Mas ontem, não deu. O Irmão insistiu em me deixar lá:

- Oi, tudo bem? Você sumiu!
(Simpatia! Lançou o gracejo assim que eu pisei no estabelecimento)
- Eu? Sumi? Errrr... sumi nada!
(Gaguejando, sem graça)
- Sumiu sim. Tá trabalhando muito?
(Desta vez, ele não perguntou da faculdade. Droga!)
- É trabalhando um bocado, sim...
- Poxa, nunca mais te vi aqui. Não tem comprado mais pão?
- Ah... é que eu decidi comer Pão Pullman ultimamente... dá menos trabalho!
- Ah, tá!
(Cara de desolado da vida)

Mano, eu juro que falei pro cara que eu tava comendo Pão Pullman.
Caralho... como eu ri disso!

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Irreais Expectativas Desleais!

Meu Deus!
Já estou nervosa. Ai meu Deus.
O barato nem deu certo e eu já estou aqui, tensa. Imagine mais tarde, então?! CARACAS!
Será que é algum sinal? Será que veio tudo a calhar? Não, não pode ser.
Eu e minhas interpretações... ai, ai.
A verdade é que eu quero que dê certo. Que TUDO dê certo. No sentido mais amplo da palavra.
Pensando bem, será que eu quero que TUDO dê certo mesmo? Logo agora? Tão já?
Meu Deus...
Sem expectativas, vai... esquece tudo que eu falei. Chega, pára, deleta. Vamos mudar de assunto...

O tempo virou hoje, não?!

TAPADAAAA!

Eu sou uma pessoa capaz de se perder dando uma volta no quarteirão.
Como pode isso, gente?

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Meus olhos estão mais verdes hoje e eu nem consigo escrever o restante. O porquê, as causas e os motivos.
Acho que também nem é necessário. Aquela velha frase “vai passar” é o que me conforta. Pq eu sei que é verdade, vai passar mesmo. E vai passar rápido.

domingo, 9 de agosto de 2009

Never There!

I need your arms around me
Eu preciso dos seus braços ao meu redor
I need to feel your touch
Eu preciso sentir seu toque

I need your understanding
Eu preciso da sua compreensão
I need your love so much
Eu preciso tanto do seu amor

You tell me that you love me so
Você me diz que me ama tanto
You tell me that you care
Você me diz que se importa
But when I need you (baby)
Mas quando eu preciso de você (baby)
Baby, you're never there
Baby, você nunca está lá

On the phone long, long distance
No telefone à longa, longa distância
Always through such strong resistance
Sempre através de tal forte resistência
And first you say you're too busy
Primeiro você diz que está ocupada demais
I wonder if you even miss me
Eu me pergunto se você realmente sente minha falta

Never there
Nunca lá
You're never there
Você nunca está lá
You're never ever ever ever there
Você nunca, jamais, jamais está lá

Hey!

A golden bird that flies away
Um pássaro dourado que voa embora
A candle's fickle flame
Uma chama inconstante de vela
To think I held you yesterday
Ao pensar que abracei você ontem
Your love was just a game
Seu amor era apenas um jogo

You tell me that you love me so
Você me diz que me ama tanto
You tell me that you care
Você me diz que se importa
But when I need you (baby)
Mas quando eu preciso de você (baby)

Take the time to get to know me
Use o tempo para chegar a me conhecer
If you want me why can't you just show me
Se você me quer, por quê simplesmente não consegue me mostrar?
We're always on this roller coaster
Bem, sempre nesta montanha-russa
If you want me why can't you get closer
Se você me quer, por quê não consegue chegar mais perto?

Never there
Nunca lá
You're never there
Você nunca está lá
You're never ever, ever, ever, there
Você nunca, jamais, jamais está lá..

Never Ther - Cake

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Aaah, se fosse o RICHARLYSON...

Travesti, Lipoaspiração... Ah, se fosse o Ricky!
Mas ele é o melhor do Mundo, né?! Ah tá, ele pode!

Enquanto isso no Twitter...

Sobe a mensagem:

lucianaantao odeio jornalista pc... e tenho dito #prontofalei

robertanina @lucianaantao O que e jornalista PC?

carollllina @robertanina pão-com-ovo, right? @lucianaantao

lucianaantao @robertanina e @carollllina para ser o mais fina possível é o famoso madeira entre as nádegas

Quem não entendeu nem preciso falar que é um baita de um Pau no Cu, né?!

50 anos de Turma da Mônica

Cada vez que eu vejo um gibi da Turma da Mônica, abro um sorrisão e lembro com muita saudade e alegria da minha infância.

Eu sempre fui fã de assistir filminhos infantis no vídeo cassete. Lembro muito bem que toda semana eu ia com a mamãe até o Vídeo X da rua Tuiuti e alugava uma penca deles. Não só da Turma da Mônica, mas esses eram os meus prediletos. (Um dia me arrisquei a assistir “Chapeuzinho Vermelho” e fiquei noiada. Meu, o Lobo comia a Vovózinha e foi um baque pra mim, juro!).

Num belo dia de sol, recebi uma correspondência em casa. Eu, lá nos meus 9, 10 anos de idade, achei aquilo sensacional. Imagina, eu receber uma carta...
Quando abri o tal envelope, estava lá escrito que eu tinha sido contemplada com uma assinatura dos gibis da Turma da Mônica. Eu entrei em êxtase! Fiquei mega feliz!
Foi meu pai que me deu um dos presentes mais doces da minha vida.

Todo mês eu recebia 5 gibis da Turma em casa. Eles vinham embalados em um envelope plástico cinza, em meu nome.
Eu ficava tão empolgada que assim que as revistinhas chegavam, eu parava tudo e ia para a sala e começava a devorar aquelas tirinhas com os olhos.
Em uma tarde, eu lia TUDO e ficava naquela ansiedade esperando as próximas 5 revistinhas do mês seguinte.
Acho que deveriam ter me orientado a ler aquelas paradas devagar, né?! Pô gente, eu lia tudo de uma vez... E o próximo envelope só chegaria depois de 30 dias. Que judiação de mim!

Além dessa lembrança preciosa, guardo em minha memória cada minuto que curti, corri e brinquei no Parque da Mônica.
Gente, aquilo era genial! Um castelo. Um verdadeiro Mundo de Faz Conta que eu sempre sonhei em conhecer.
Tem tudo quanto é brinquedo que se possa imaginar. Eu lembro daquela piscina de bolinhas, gigante, cheia de túneis onde as crianças se esbaldavam de escorregar. Outra coisa que eu guardo é um Banco feito para as crianças. Lá, a gente ganhava dinheirinho, cheque e cartão de crédito de mentirinha. Nossa, eu adorei!
Lembro também da casa do Louco, toda feita do avesso (assim como o personagem), colorida e cheia de detalhes engraçados.

Foi um passeio inesquecível que fiz ao lado do meu pai e da minha mãe. Recomendo a toda mãe que conheço a levar seus pequenos lá no Parque pq é maravilhoso, diversão garantida!
Confesso que queria voltar a ser criança só pra poder me esbaldar de novo em todo aquele bando de brinquedo.

Bom, escrevi tudo isso pra dizer que a Turma da Mônica completa 50 anos de vida. O autor e desenhista Mauricio de Souza (que tive o prazer de conhecer na extinta TVJB) deu uma entrevista super bacana para a Revista Viva (de Alphaville) e contou um pouquinho sobre a sua história e a dos seus personagens.

Gostaria tanto que meus filhos tivessem a oportunidade de ler e se encantar, assim como eu, pela Turma da Mônica. Sei que os tempos são outros, mas as historinhas do Mauricio são apaixonantes e fazem parte das melhores lembranças da minha vida.

Ah, tenho um antigo sonho que não consegui realizar até hoje. A minha porção criança e fã da Turma da Mônica sonha em um dia GANHAR UM SANSÃO DE PELÚCIA!!

Segue um vídeo da Turma com uma historinha super bacana que fala sobre boas maneiras.
Eu AMOOO!

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Da série: E-mails Inesquecíveis

Guardo alguns e-mails em especial. Aqueles que me passaram alguma mensagem ou que me fizeram um bem estar danado em ler.
Ontem estava relembrando e achei alguns que me tocaram mesmo. Decidi que vou publicar alguns principais aqui mas não vou especificar quem me mandou e nem em qual ocasião. Só as palavras bastam.

Segue o primeiro.
(22 de janeiro de 2007)

“Escuta: eu ganho meu ganha-pão cercado e escrevendo sobre futilidades todo santo dia.
Qdo eu trabalhava na Veja, a vizinhança aplaudia e eu era infeliz. "Pra que ficar na Veja. Pra dizer ao vizinho?"', pensei. Pedi demissão!
Hj, tô cagando para o que pensem do meu trabalho e sou feliz pacas.
Siga seu caminho e assimile esse golpe, que, na verdade, não é o fim de tudo.
Vc é uma pessoa que sabe lidar com público, é simpatica, faz amizade muito fácil, bem mais fácil do que eu... Precisa seguir batalhando por um espaço onde possa melhor viver dessas suas aptidões.

Não posso pedir pra vc não se sentir um lixo porque eu mesmo já passei por isso. Mas segui e tô seguindo ainda... Espero e torço pra que vc consiga tb, seja em assessoria, com foto ou o que seja. Pense - e mais que isso: aja!!! - no que quer fazer para a sua vida profissional, então, e rale!!!

Esqueci uma coisa: acho perfeito uma pessoa ter autocrítica, mas vc se pune demais da conta. O cara do jornal já esqueceu seu nome (se é que ele o guardou!) no momento que colocou um ponto final no artigo dele! Quem se queima é a assessoria, cujo nome se bater no ouvido do jornalista, vai remetê-lo à nota.
Mas vá lá! Ó, se estiver insuportável pra vc aí, peça as contas e vá atrás de um trabalho que a deixe, pelo menos, feliz. Aí, vou segurando as pontas em casa até vc se empregar de novo
Se precisar, sabe que pode contar...”

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Huuuuuuuuuuuuugo!

Este final de semana trabalhei no Festival Gastronômico em homenagem ao ano da Franca no Brasil na cidade de Campinas.
Inúmeros restaurantes prepararam menus especiais para a comemoração. Tanta coisa gostosa!
Mas eu, cagada que sou, estava MUITO MAL do estômago, do fígado, sei lá do que e não pude provar nenhuminha das delícias.
Tudo bem que eu sou pra lá de chata pra comer alguma coisa, mas o cheirinho daquele frango ao curry e daquele carré de cordeiro estão impregnados no meu nariz até agora, porra!

Fica pra uma próxima, Campeã!

***

ps.: O que fazer quando o teu chefe percebe que você está passando mal e saca SEIS comprimidos para que você possa melhorar e ainda diz:

- Roberta, pode tomar. Toma isso senão eu te mando embora. Pode confiar. Você acha que eu sou louco? E outra, de fígado, eu entendo... você sabe... eu bebo pra caralho!

Morri!

segunda-feira, 3 de agosto de 2009